5 novos discos que você precisa ouvir!

Discos

Tá cansado de ouvir as mesmas músicas todos os dias, enquanto você faz aquele relatório chatíssimo para entregar para o seu chefe até a hora do almoço? Então, você não pode ficar de fora desse post. Com a propagação da internet, é muito fácil conhecer bandas e cantores novos, o próprio site Musicoteca sempre tem algo saindo do forno para mostrar para galera e o melhor: download free! A moda de compartilhar o disco entre os fãs, só traz benefícios para o artista e feliz daquele que faz isso. Afinal, toda vez que vou a um show e o vocalista fala: “Gente, nosso CD está disponível pra venda lá fora, mas se você estiver sem grana tem pra download no site”, dá muito mais vontade de comprar, só pelo fato do músico ter a pré-disposição de espalhar o seu trabalho.

Hoje vim indicar 5 discos que acabaram de sair do forno, para você dar uma variada musical na sua vida. Seleção brasileiríssima, até porque, com tanto talento aqui em nossa terra, é triste ver gente que não ouve nada nacional. Mas nunca é tarde, que tal começar agora?

Sábado, Cícero

Esse saiu do forno mesmo. Depois do sucesso de Canções de Apartamento lançado em meados de 2011, Cícero aposta em novas composições. O disco Sábado, foi lançado no último sábado (31) e já está disponível para download no site. Acho que nada vai se comparar ao primeiro trabalho dele, porque realmente foi uma bela estreia, mas é válido dizer que esse novo trabalho tem a mesma pegada e com as melodias que remetem muito ao Canções. Então, se você já gosta do estilo do rapaz e curte músicas mais calminhas, esse é o CD certo para baixar. O carioca, que anda sumido de São Paulo, ainda não disponibilizou agenda por aqui, mas boatos dizem que em novembro ele vem pro Sesc Pompeia.

Ouça: Frevo Por Acaso, Por Botafogo.

Você vai gostar se curte: SILVA, Los Hermanos, Phill Veras e Wado.

Toni Ferreira, Toni Ferreira

Conheci o Toni por conta do Pélico, pois em seu disco de estreia ele gravou Olha Só, música do compositor de Que Isso Fique Entre Nós. Logo me apaixonei pela voz harmoniosa de Toni Ferreira, que assim como muitos comentam, lembra muito a do falecido Cazuza. Lançado pela Universal Music, o disco chegou às prateleiras no finzinho de junho e foi produzido pelo próprio Pélico e Jesus Sanchez. A copilação de um trabalho fino e elegante.

Ouça: Olha Só e Leve.

Você vai gostar se curte: Léo Cavalcanti, Filipe Catto e Pélico.

Pra Mim Você É Lindo, Katia B

Ganhei o CD da Katia de uma produtora amiga e já pela capa me apaixonei. A carioca, que fez se apresentou no Auditório do Ibirapuera no último sábado (31), mistura a clássica MPB com umas pegadas bem psicodélicas. Tão bom quanto Só Deixo Meu Coração Na Mão de Quem Pode (2003), esse novo trabalho mostra uma Katia mais madura e certa do rumo que quer seguir: o do coração. A interpretação de Sete Mil Vezes de Caetano Veloso, é a cereja do bolo.

Ouça: Aprendendo A Viver Les Temps de L’amour.

Você vai gostar se curte: Céu, Bebel Gilberto e Tulipa Ruiz.

Pequenas Margaridas, Nana

Ela deu as caras em 2011 e com a demo Expressionismo Alemão, muito charme e um belo par de olhos azuis, já foi causa de grande furor no meio indie da música brazuca. Mas foi em 2013 que Nana conquistou os meus ouvidos ao lançar o Pequenas Margaridas que me propôs um misto de sentimentos e sensações. O nome desse novo trabalho foi inspirado no filme homônimo da diretora checa Vera Chytilovo. E o primeiro clipe já foi lançado: Montanha-russa mostra a ruivinha mais fofa do que nunca.

Ouça: Pequenas Margaridas e Montanha-russa.

Você vai gostar se curte: Tiê, Tulipa Ruiz e Lulina.

O Glorioso Retorno De Quem Nunca Esteve Aqui, Emicida.

Esse aqui dispensa apresentações, o que é novo na verdade, são os sons. Mas o atrevimento e a coragem de dar a cara à tapas de Emicida, ele carrega desde os primeiros raps. Depois da mais que polêmica com Dedo Na Ferida no ano passado, que aborda o assunto da desocupação da região do Pinheirinho (SP), ele vem ainda mais ousado. E não só as letras, o clipe de Crisântemo, que foi lançado antes do CD, traz cenas fortes que retratam a infância do rapper e participação de Dona Jacira, sua mãe. O disco conta ainda com a participação de Tulipa Ruiz, Pitty, Jussara Marçal, Wilson das Neves e MC Guime. Na última semana, a canção Trepadeira foi alvo de grande discussão nas redes sociais pelo movimento feminista.

Ouça: Hoje Cedo Samba Do Fim Do Mundo.

Você vai gostar se curte: Criolo, Rashid e Flora Matos.

Playlist da semana

tumblr_mkag69KLQK1rhv3meo1_500_largeQuem acompanha esse blog já deve ter percebido que eu respiro música, não é mesmo? Adoro procurar sons novos e tenho um carinho especial com as bandas e cantores brasileiros. Pelos relatos de shows dá pra ver que sou fã da Musicoteca e de tudo o que rola por lá. Gosto de muitos discos antigos também, por isso sempre fuço as vitrolas alheias. Vou compartilhar o que eu mais ouvi essa semana. Na verdade, tenho o costume de ouvir uma playlist baseada nos shows que vou ou pretendo ir. A primeira da lista é do Wado que irei conferir o show hoje (confere a agendinha aqui), então estou com o disco Vazio Tropical no meu celular há um tempinho. A segunda é do fofo do SILVA  e eu não sei se estou mais apaixonada pela música ou pelo clipe, que tem a participação da Maria Flor, uma atriz que gosto muito. Logo depois vem o Pélico, que fui ao show há duas semanas e se eu já era fã do compositor, agora estou viciada. As letras do disco é a descrição de um divórcio, pura poesia doce. Já a música do Paramore é porque ganhei o ingressos para vê-los aqui em Sampa no dia 30 e estou na maior nostalgia, esse clipe novo também é fofo. A Roberta Sá é uma cantora que eu sempre ouvi falar, mas que nunca dei muita atenção, ouvindo a Nova Brasil (a única rádio que ouço), me apaixonei por essa música. Clarice Falcão dispensa comentários, não é? E hoje tô muito feliz, porque ELA VAI FAZER SHOW NO CINE JOIA! UHUUUL! Pra fechar, a lindeza do The XX que vem pra cá em outubro e o Two Door Cinema Club, aliás, esse disco deles é todo maravilhoso.

Pélico, Casa do Mancha e a reunião de amigos artistas

show_highlight_mancha7

Do lado de fora parece ser apenas mais uma casa, entre muitas que formam o bairro da Vila Madalena. Da rua ninguém percebe, não há placas e nem letreiros. A questão é que por trás desse pacato portão, a arte corre solta e para descobrir é necessário arriscar, abri-lo e dar a cara pra bater “Hey, aqui é a Casa do Mancha”. Pois tenho dito, se você chegou até a Rua Filipe Alcaçova, você está, sim,  na Casa do Mancha. A ideia veio de querer compartilhar as festas que rolavam em casa, por isso o editor de vídeos Mancha Leonel e seu sócio, o produtor Tomaz Afs decidiram abrir as portas e receber o público.

A noite começa às 17hrs e vai até às 23hrs, para não criar problema com os vizinhos de um rua aparentemente tão silenciosa. E foi atraída por esse clima underground que tanto comentaram no Foursquare que eu fui até lá ver com os meus próprios olhos como a noite funciona na casa de Leonel. No dia 06 quem comandava a noite era o cantor e compositor paulistano Pélico. O show que custava R$15,00 (só aceita dinheiro), estava marcado para começar às 20hrs, já para não desrespeitar o horário estipulado. Entrei com meu amigo Ed e já fiquei encantada. O primeiro ambiente é como se fosse uma garagem/quintal onde as paredes expõem diversos grafites e não faltam penduricalhos por todos os cantos, um manequim bem estiloso e luzinhas de natal, por exemplo. A parte legal é que lá parece uma grande reunião de amigos artistas, isso mesmo. Vejam bem, eu fui para conferir o show do Pélico e assim que entrei ele estava lá com a galera, super acessível e conversando com todos. Entre o pessoal também estavam: Rafael Castro, Filipe Catto e Bárbara Eugênia, além de claro, o mandante da festa, o Mancha.

CasadoMancha1

A primeira coisa que fiz, foi ir até o barzinho, que tratasse de um balcão simples, com dois barmans super simpáticos atrás. Depois de duas Stellas e um mojito, que por sinal é maravilhoso, arrisquei um drink da casa: Sunshine Romance, uma misturinha de vodka, suco de morango que deu super certo. Outro muito famoso do lugar é o Maucalay, mas esse eu não tomei portanto, deixo a minha dica com o Romance mesmo. Além de ótimos drinks, afinal, não é em qualquer lugar que você toma um bom mojito, as bebidinhas tem preços justos. Copos grandes (como dá pra ver na foto), cada drink custa de R$12 a R$16, a cerveja Stella ou Heineken long neck por R$6. Precinho camarada, não?

CasadoMancha2

E o que dizer de um lugar que tem arte até no banheiro? Pois é, o toalete unissex do local é cheio de recadinhos simpáticos, desenhos bonitos e símbolos de artistas independentes que já passaram pela casa. Ou seja, é uma casa cheia de detalhes. Mas calma, não se empolgue lendo e observando as figuras, porque lá fora rola uma fila pra usar o banheiro.CasadoMancha3

1010971_534735539897349_1147284216_nOs shows acontecem dentro da sala do Mancha, o ambiente é todo escuro, iluminado apenas com luzes de natal, que torna o clima mais aconchegante ainda. O fato do músico estar muito próximo ao público, também alimenta essa ideia de reunião de amigos. A maior parte do repertório da noite foi composta com canções do seu último trabalho Que Isso Fique Entre Nós, lançado em 2011, o disco que o deixou conhecido como compositor que transformou um divórcio em música. Ainda arriscou em duas músicas do trabalho de 2008, O Último Dia de Um Homem Sem Juízo e fez todos cantarem juntos. Muito a vontade, ele que bebericava um copo de cachaça entre uma música e outra, tratou de chamar seu amigo Filipe Catto para cantar Sem Medida, música que Catto regravou em seu novo CD. Logo depois, foi a vez de Bárbara Eugênia, que chegou ao show correndo, mas conseguiu entrar a tempo de subir ao palco e exibir seu novo visual: cabelos mais curtos e ruivos! Os dois cantaram a música Roupa Suja que faz parte do novo disco de Bárbara, É O Que Temos. Por último e não menos importante, Rafael Castro o ajudou com a animadinha Vamo Tentá. Entre um sorriso e outro, Pélico fechou o show com a deliciosa baladinha Recado e fez todos o acompanhar em um coro bonito de “lalalararara” logo após de versos entoados com voz firme: “Enfim me despeço, pois a dor e saudade não vão te deixar”. Nem precisou sair do “palco” para o pessoal pedir bis, então ele tocou novamente a canção Não Éramos Tão Assim e fez questão de dividir o microfone com algumas meninas que estavam bem à sua frente.

Saí de lá sorrindo, com a impressão que tinha mesmo ido a uma reunião de amigos e com vontade de voltar, dentro em breve.

Ouça e baixe gratuitamente o disco Que Isso Fique Entre Nós [2011].

PS: As fotos do palco ficaram péssimas, porque nós só estávamos com celular e como o lugar era escuro, só deu pra pegar a sombra do Pélico e da Bárbara Eugênia na foto acima. Sim, preciso comprar uma câmera descente o mais rápido possível.

Retrospectiva Cultural

Olá, queridos! Estou muito em falta nesse blog, e acreditam, não há nada que me deixe mais triste do que deixar de postar por aqui. Mas a cada bimestre que passa (estou no 5º) a Fapcom e sua média 8 fritam ainda mais os meus neurônios, consequentemente, o meu tempo também se vai. E se levar em conta que eu trabalho em uma revista semanal, já viu, né? A semana passada foi bem corrida pra mim, vou tentar fazer os posts de tudo amanhã, mas caso não dê, quero deixar tudo aqui registrado. Vamos lá?

Coitadinha Bem Feito

Foto: Instagram

Terça-feira foi dia de curtir Coitadinha Bem Feito, o show aconteceu para lançar o CD que vários homens lindos da nova MPB se juntaram e produziram. No disco eles cantam músicas de Ângela Rorô, mixado pelo DJ Zé Pedro o resultado ficou massa. O show que aconteceu no SESC Vila Mariana contou com a participação de Gui Amabis, Otto, Pélico, Lirinha, Gustavo Galo e Adriano Cintra. Quer ouvir o projeto? Vai lá! Siiim, dá pra ouvir e baixar de graça! 

Adriana Calcanhotto

Foto: Agnews
Já na quarta-feira fui até o chiquérrimo Teatro Bradesco que fica dentro do Shopping Bourbon, conferir a apresentação única em São Paulo de Adriana Calcanhotto. O lugar é lindo e Adriana mesmo que sentava conseguiu fazer uma performance magnífica. Ela fez canções do seu novo trabalho Olhos de Onda, mas cantou as antigas clássicas como Devolva-me e Vambora.
 
Elena
Foto: Reprodução
Já na quinta-feira fui conferir a pré-estreia do tão esperado documentário-filme Elena. Fiquei imensamente tocada, mexida e emocionada com o trabalho. Depois da sessão, que rolou no Espaço Itaú Cinemas da Rua Augusta, Petra Costa, diretora do longa, estava por lá e fez um debate entre os espectadores. Ainda consegui um abraço e autógrafo da Petra (tô virando tiete!). Depois faço um post mais detalhado, porque esse filme merece!
Tulipa Ruiz
Foto: Cauê Leone
Sábado foi dia de curtir lá no Anhangabaú o show da Tulipa Ruiz. Sou fã declarada e suspeita em falar qualquer coisa sobre essa grande MUSA da nova MPB. A cantora recebeu a Tiê e o Emicida no palco do projeto Ser Mãe Em  São Paulo. O espetáculo foi bem tranquilo, com um público que soube curtir bem o que a prefeitura ofereceu. Um verdadeiro ensaio, em grande estilo, para a Virada Cultural.
Homenagem ao Paul McCartney
Foto: Instagram
Ufa, e enfim chegou o domingo com o Dia das Mães. Porém, eu tenho uma mãe muito moderna e a noite fomos até o SESC Pompéia, na minha Choperia querida, ver o show que a Pitty, Blubell, Mauro Motoki, Léo Cavalcanti, Juliana R e Hélio Flanders prepararam para homenagear o meu amado Paul McCartney. Já tinha visto um show com quase toda essa turminha, mas em comemoração ao John Lennon e como sempre, eles arrasam! Foi uma noite linda!
 
Muita coisa, não é? E isso tudo fugindo de uma aula e outra no meio da semana. Haha. Nessa semana fiquei mais quietinha, porque tive que ver todas as aulas (fim de semestre, uhuuul). Semana que vem tem prova, mas nem por isso vou dispensar a virada. E você? Já sabe o que vai ver por lá?
Beijooos!