Barbara Ohana lança EP “Looking For A New Place To Begin – Oficial Soundtrack”

 Inspirado em uma narrativa fictícia feita em parceria com a marca Another Place, o EP é a trilha sonora da audiovisual collection apresentada no desfile da marca na recente edição da SPFW que contou com o protagonismo do ator Johnny Massaro na interpretação de três faixas inéditas 

LFNPTB_BO_CAPA.jpg

Após o lançamento do videoclipe “Chains” na última sexta-feira (25), o retorno autoral de Barbara Ohana depois de três anos produzindo e compondo para outros artistas é marcado pelo EP “Looking For A New Place To Begin”. Com seis faixas – sendo três inéditas – o público conferiu uma prévia do EP durante o desfile da marca Another Place na SPFW, quando quatro canções foram exibidas, unindo música, moda e audiovisual.

Na produção que nasceu para ser uma audiovisual collection, Massaro vive a pele de um alter-ego, um rockstar que dubla a voz intensa dela no palco e, vive momentos de angústia, culpa, confusão e frustração. Todo guiado pelo personagem, a primeira faixa “No Tomorrow” conta sobre sua solidão e seu mergulho em desejos que soam assustadores. Na letra, “I’ll leave tomorrow, beat tomorrow, but it’s now or never”, como uma criança com o dedo na boca, ele ainda está aprendendo a esquecer suas dores e vê o dia cair assistindo suas fantasias.

Continuar lendo “Barbara Ohana lança EP “Looking For A New Place To Begin – Oficial Soundtrack””

Pitty lidera as indicações do WME Awards by Music

Terceira edição do prêmio ocorre dia 3 de dezembro, em São Paulo, com homenagens a Gal Costa e Beth Carvalho

Clique aqui para votar

unnamed

Imagem: Marcos Hermes

WME Awards by Music2 – primeiro prêmio totalmente dedicado às mulheres do universo musical – chega à sua terceira edição no dia 3 de dezembro com uma novidade: será transmitido ao vivo e com exclusividade pelo canal TNT, aumentando ainda mais a exposição e relevância do prêmio criado em 2017 a partir de uma parceria entre a plataforma de música Women’s Music Event e a empresa Music2.

Com apresentação de Preta Gil, o WME Awards consolida-se como um dos prêmios mais importantes da música brasileira, tornando-se em 2019 a primeira premiação do cardápio do canal TNT, casa de outros 12 prêmios internacionais, entre eles o Oscar, o Grammy e o Billboard.

Para estrear em grande estilo no calendário das grandes premiações, o evento ampliou o número de categorias, migrou para um lugar maior, aumentou o número de apresentadoras e de shows e terá direito a tapete vermelho, comentaristas e um pacote comercial exclusivo de patrocínio. Também traz novas categorias, como a de Compositora, Escuta as Minas, categoria apresentada pelo Spotify com o intuito de escolher novos talentos da música independente, e a categoria Melhor Música, que foi desmembrada em duas; Melhor Música Popular e Melhor Música Alternativa.

Das 16 categorias premiadas, entre voto popular e júri técnico, destacam-se a cantora Pitty, que levou 4 indicações, seguida por Duda Beat, Karina Buhr e Luiza Lian, cada uma com 3 indicações (veja a lista completa abaixo). A votação nas categorias de voto popular, que incluem Álbum, Cantora, DJ, Música Popular, Música Alternativa, Videoclipe e Revelação, abre dia 17 de outubro e fica no ar até 22 de novembro. A premiação será realizada dia 3 de dezembro, terça-feira, no Audio Club, em São Paulo, com cerimônia fechada para convidados.

A grande homenageada da noite será a cantora Gal Costa, estrela da música nacional que surgiu nos anos 60 e até hoje se mantém como uma das vozes mais emocionantes do país. Símbolo do tropicalismo, Gal será celebrada ao longo do evento, que reserva diversas surpresas, entre elas shows musicais e convidadas especiais para entregar prêmios.
A cada ano uma grande artista já falecida tem seu legado celebrado no WME Awards. Este ano, o evento prestará uma merecidíssima homenagem a Beth Carvalho, uma das maiores sambistas do Brasil, falecida em abril deste ano, aos 72 anos.

Repetindo a lógica de criar uma premiação que seja representativa da amplitude do Brasil, as finalistas serão novamente indicadas por um corpo de mais de 150 embaixadoras espalhadas por todo o país. Esse time de mulheres da indústria musical é responsável por selecionar os destaques do ano por meio de um sistema online que contabiliza e organiza os votos. Dessa forma, todas as regiões do país são ouvidas na fase de triagem.

Já passaram pelo palco da premiação artistas como Daniela Mercury, Pitty, Luísa Sonza, Paula Lima, Fernanda Abreu, Teresa Cristina, Lan Lanh, Tulipa Ruiz, Anelis Assumpção, Letrux, Luedji Luna, Elza Soares, Alice Caymmi, Karina Bhur, Karol Conka, Duda Beat, Drik Barbosa, Xênia França, Tiê, As Bahias e a Cozinha Mineira, Tássia Reis e Flora Matos, além de nomes chave da indústria musical, como Vera Egito, Patrícia Palumbo, Roberta Martinelli, Eliane Dias, entre muitas outras.

Confira a lista de indicadas:

Continuar lendo “Pitty lidera as indicações do WME Awards by Music”

Confira vídeo de “Hacia El Amor”, nova música de Emicida e o duo Ibeyi

unnamed.png

No ano passado, quando lançou o single “Hacia El Amor” com o duo franco-cubano IbeyiEmicida escreveu: “sinto em minhas novas amigas, as Ibeyi, a energia dos espíritos antigos que retornam para contar suas histórias e dividir sua grandeza em novas plataformas”. Um ano depois, a narrativa continua sendo escrita em parceria. O rapper paulista e as irmãs gêmeas Lisa-Kaindé e Naomi Díaz foram anunciados em um show conjunto no palco Sunset do Rock in Rio.

Para celebrar o encontro ao vivo, que acontece no palco do festival no dia 3 de outubro, Emicida liberou um vídeo com as cenas da gravação da música “Hacia El Amor”, que foi registrada no estúdio da Laboratório Fantasma, em São Paulo. Assista aqui.

“Hacia El Amor” é de autoria de Emicida, Lisa-Kaindé e Naomi Díaz, Maya Dagnino (mãe das gêmeas) e Marcio Arantes (também produtor da faixa). “É uma canção que compusemos em conjunto, passeia por idiomas mil, agogôs e sintetizadores convivendo em paz”, diz Emicida. “Como nos terreiros pequenos de quebrada, onde em uma casa está acontecendo a gira e na casa do lado alguém assiste Stranger Things e o som de ambos em algum momento se torna uma coisa só”, completa.

O Terno lançou música nova e nós estamos surtando!

“Nada/Tudo” é o primeiro single de do quarto álbum da banda previsto para o final de abril

imagem_release_1656661.jpg

O primeiro single do quarto álbum d’O Terno, Nada/Tudo, é a síntese da proposta conceitual unificadora da banda em vídeo, com recurso visual minimalista. É o amarelo (que representa o trabalho anterior, “Melhor do que Parece”) a ser lavado na tela até se tornar tanto todas as cores no branco quanto um vazio propositivo, onde o trio paulistano exerce em sonoridade e arranjos grandiosos e refinados a construção deste álbum “<atrás/além>”.

O quarto disco do conjunto trata da equação de unir tudo o que O Terno foi nestes 10 anos de existência até chegar a uma unidade em que o que importa é a música, qualquer que seja a categorização a sair da guitarra e da voz de Tim Bernardes, do baixo de Guilherme d’Almeida e da bateria de Biel Basile.

Na verdade, o grupo se posicionou estrategicamente em plano igual à orquestração e arranjos de metais e cordas do trabalho, evidentes em Nada/Tudo. Assista aqui

Violino, trombone e vibrafone se unem à tríade guitarra, baixo e bateria sob um fundo em amarelo sólido da tela. A cor é lavada durante os 4m17s da canção até ser substituída pelo branco, que define horizonte ilimitado para a banda. Isso é perceptível no texto da música, já que trata de assuntos abstratos como silêncio e de objetos palpáveis como a citação de nomes de amigos.

“O disco todo traz essa marca de referências assimiladas e a não a premeditação ao se fazer (o disco)”, sugere o cantor e compositor Tim Bernardes.

Tuyo lança remix de “Solamento” pra dançar chorando

unnamed (16).jpg

Após ter ser se tornado trilha da sofrência indie e de ter virado indireta pro crush nas redes sociais, a música “Solamento”, da banda Tuyo, ganha um  remix no maior estilo “pra dançar chorando”. O responsável pelo feito é o guitarrista paraense Lucas Estrela, que fez dobradinha com o grafiteiro, ilustrador e seu conterrâneo Dedeh Farias. Este último ficou responsável pela arte de capa da faixa repaginada, já disponível nos aplicativos de música. A identidade visual, por sua vez, ficou aos cuidados de Bruno W. F. Nogueira. Assista ao lyric video aqui.

Faixa que integra o EP de estreia Pra Doer (2017), “Solamento” ganhou vida própria e impactou muitas pessoas. Tem mais de 1 milhão de plays no Spotify, enquanto a sua versão acústica soma mais de 4 milhões de views no YouTube do trio paranaense formado por Lio Soares, Lay Soares e Jean Machado. “Acredito que a música foi ganhando vários significados e foi se resignificando desde que surgiu”, conta Lio. “A beleza do contato das pessoas com qualquer obra artística é o poder delas de protagonizar transformações nessas narrativas, é como se nunca tivéssemos controle do que foi criado”, pensa.
O remix de “Solamento”, que é o primeiro lançamento desde o primeiro e elogiado disco cheio Pra Curar (2018), ganhou ainda um lyric video no canal oficial da banda no YouTube (assista aqui). “A Tuyo canta sobre o sofrimento e, para nós, foi muito importante que alguém como o Lucas Estrela, que é do Belém do Pará, onde tem o ‘brega’, fizesse esse remix. A essência do sentimento tinha que ser mantida”, pensa.

Assista ao lyric video aqui

francisco, el hombre convida para suar até a última gota no clipe de “ENCALDEIRANDO:: aqui dentro tá quente”

unnamed (13)

Uma conversa entre o blasé e o efervescente, “ENCALDEIRANDO:: aqui dentro tá quente” é uma das faixas que dá o tom do recém-lançado disco RASGACABEZA, da banda francisco, el hombre. A música acaba de ganhar um videoclipe que é um convite à catarse, além de carregar uma pegada pop e acompanhar uma das premissas do novo álbum: a dança. Assista aqui.

Os versos “Pode ser, pode pá, pode crer/ C’est la vie, tanto faz, tanto fez” se encontram com “Aqui dentro tá quente e tá ficando mais/ Dá um passo pra frente”. Eles são uma convocação para sentir o clima do que o quinteto se propõe em cima do palco. “Quando começamos a fazer esse disco, a gente queria comunicar a mensagem, mas, além disso, a ideia era que as palavras gerassem movimento”, conta Mateo Piracés-Ugarte, que integra o grupo ao lado de Sebastián Piracés-Ugarte, Juliana StrassacapaAndrei Martinez Kozyreff e Rafael Gomes. “Nos entregamos tanto nos shows, pulamos e dançamos tanto, queríamos que as músicas instigassem a galera a fazer isso também”, completa.

Então dá o play no clipe, um convite para quem ainda ainda está indiferente, um chamado para suar até a última gota e sentir a vibe que a banda propõe no ao vivo.

Rael dá contornos pop à “Flor de Aruanda”, primeira música a ser revelada do seu próximo trabalho

Henrique-Alqualo-4.jpg

Luanda foi uma das cidades africanas que mais enviou escravos para o Brasil, tornando-se a última lembrança de liberdade para eles. Com o tempo e com a influência da língua dos brancos, a capital angolana acabou ganhando a pronúncia de Aruanda e a conotação de paraíso para as religiões de raiz afro – a morada dos orixás e onde se encontra o necessário para a evolução do espírito. Esse contexto histórico e essa versão sobre o surgimento de Aruanda foram os pontos de partida para Rael compor “Flor de Aruanda”, primeira música a ser revelada do seu próximo trabalho, previsto para o primeiro semestre de 2019.

Com produção do próprio cantor e compositor e distribuição da gravadora LAB Fantasma em parceria com a Sony Music, a nova canção marca uma mudança no seu processo criativo, em que ele concebe a obra do começo ao fim, pensando na parte instrumental e na estrutura, para depois compor a letra em cima do que foi criado. O DNA da faixa, contudo, mantém a identidade de Rael, que dá contornos pop ao mix de rap com reggae. No caso de “Flor de Aruanda”, o artista convidou Rafael Tudesco e Bruno Marcucci para somarem na música.

Continuar lendo “Rael dá contornos pop à “Flor de Aruanda”, primeira música a ser revelada do seu próximo trabalho”