Conheça os 41 artistas, bandas e coletivos contemplados por Natura Musical em 2020

unnamed.jpg
Créditos: Wesley Allen

Natura Musical anuncia, nesta segunda-feira (25), os 41 novos artistas, bandas e projetos de fomento à cena que serão patrocinados pela plataforma em 2020. A gravação de discos, turnês nacionais, fomento a casas de cultura, projetos de educação musical e documentação de cenas locais estão entre as propostas apoiadas.

“Os novos selecionados falam de lugares e vivências muito diferentes, e vão representar espaços de conexão emocional com muita gente”, afirma Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura. “O futuro que queremos construir é coletivo. Ele passa por momentos de tensão, mas com a música somos capazes de chegar num lugar de unidade, respeitando a diversidade. Esses artistas, bandas e projetos de fomento trazem a mensagem de que o futuro pode ser mais bonito com a música e com envolvimento de cada um de nós”, completa.

Continuar lendo “Conheça os 41 artistas, bandas e coletivos contemplados por Natura Musical em 2020”

Emicida exalta as coisas simples da vida e a grandeza da humanidade no experimento social AmarElo

unnamed (1).jpg
Foto: Júlia Rodrigues

Em novo trabalho de estúdio, o rapper paulista conecta as pessoas pelo o que elas têm em comum, usando o amor como ponte

Para um mundo em decomposição, Emicida optou por escrever como quem manda cartas de amor. O resultado desse exercício é o novo projeto de estúdio do rapper paulista, AmarElo, em que ele propõe um olhar sobre a grandeza da humanidade. Com o título inspirado em um poema de Paulo Leminski (amar é um elo | entre o azul | e o amarelo), o artista busca – ao longo das 11 faixas – reunir heranças, referências e particularidades encontradas na magnitude da música brasileira e aplicar a elas olhares e aprendizados que acumulou desde o lançamento da sua primeira (e clássica) mixtape Pra Quem Já Mordeu um Cachorro por Comida Até Que Eu Cheguei Longe (2009). Usando o rap como fio condutor, Emicida soma o clássico ao moderno em uma incursão que ele ousa chamar de neo-samba, também responsável por elevá-lo ao mesmo patamar dos grandes mestres. Produzido por Nave, AmarElo (volume 1) entra nas plataformas de música pela Laboratório Fantasma e com distribuição da Sony Music. Especialmente na Deezer, AmarElo chega com uma faixa introdutória, intitulada “Silêncio” (saiba mais no fim do texto). Ouça aqui. Continuar lendo “Emicida exalta as coisas simples da vida e a grandeza da humanidade no experimento social AmarElo”

Emicida faz show de lançamento de AmarElo no Theatro Municipal de São Paulo

unnamed (4).jpg
Foto: Júlia Rodrigues

Para um mundo em decomposição, Emicida optou por escrever como quem manda cartas de amor. O resultado desse exercício é o novo projeto de estúdio do rapper paulista, AmarElo, em que ele propõe um olhar sobre a grandeza da humanidade. AmarElo chega no dia 30 de outubro aos aplicativos de música. No dia 27 de novembro, o artista leva o show de lançamento deste trabalho – em duas sessões –  para o palco do Theatro Municipal de São Paulo. Trata-se de parte da programação oficial do mês da Consciência Negra organizada pela Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo.

Acompanhado por Julio Fejuca (baixo, cavaquinho, violão e programações) – também responsável pela produção musical do espetáculo – DJ Nyack, Michelle Cordeiro (guitarra) e Silvanny Rodriguez “Sivuca” (bateria e percussão), Emicida inclui no repertório as novas canções, como a faixa-título e “Eminência Parda”, além de músicas que marcaram a sua carreira.

Emicida revela participações especiais, capa e data de lançamento de AmarElo

unnamed (5)
Foto: Claudia Andujar

“Desculpa a demora, de verdade”, é dessa maneira que Emicida inicia a narração do vídeo que soltou hoje em suas redes (assista aqui). O rapper paulista ficou quase cinco anos sem entrar em um estúdio para gravar um trabalho completo, mas, agora, a obra está pronta. O vídeo entrega as participações especiais de AmarElo e também a data de lançamento do volume 1 (sim, serão duas partes): 30 de outubro. Com 11 faixas e produção assinada por Nave, o projeto chega aos aplicativos de música pela Laboratório Fantasma e com distribuição da Sony Music.

Três faixas de AmarElo saíram como singles (todos com videoclipes): “Eminência Parda”, a faixa-título “AmarElo” (part. Pabllo Vittar e Majur) e “Libre” (part. Ibeyi). Estes foram responsáveis por preparar o terreno e por exemplificar o experimento social proposto por Emicida no sucessor de Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa… (2015). Nessas faixas, o artista se preocupa, respectivamente, em: evidenciar de onde emana o poder verdadeiro; incentivar que as pessoas observem ao redor e se enxerguem maiores do que os seus problemas; e gritar pelo direito de poder viver, resistir e amar da sua forma.

Continuar lendo “Emicida revela participações especiais, capa e data de lançamento de AmarElo”

Emicida reúne Pabllo Vittar e Majur em “AmarElo”, faixa-título do seu próximo projeto de estúdio

unnamed (8).jpg
Foto: Fernando Schlaepfer

Após exaltar de onde emana o poder verdadeiro no single “Eminência Parda”, Emicida encaixa mais uma peça em seu próximo projeto de estúdio, que ele tem preferido chamar de experimento social em vez de disco – “apesar de ser nobre conduzir uma experiência sonora por, mais ou menos, uma hora, é preciso ter cuidado para cultura da música não ser engolida pela cultura das plataformas”. Lançada pela Laboratório Fantasma e distribuída pela Sony Music, “AmarElo” é a segunda música apresentada pelo rapper paulista e também a faixa que dá nome ao novo trabalho que está sendo proposto por ele. Ouça aqui.

“No primeiro passo desse processo, a nossa intenção era que as pessoas se sentissem grandes ao olharem no espelho. Agora, a ideia é que elas observem ao redor e se enxerguem maiores do que os seus problemas, independente de quais sejam”, diz Emicida. Para isso, o artista convidou as cantoras Pabllo Vittar e Majur para participarem do registro. Elas dão voz ao poema “Permita que Eu Fale”, do próprio Emicida, e a um trecho de “Sujeito de Sorte”, de Belchior. “As duas trazem, em suas vivências e em suas obras, histórias bonitas a respeito de acreditar em si e de lutar contra o mundo para ser quem são”, pensa Emicida.

Continuar lendo “Emicida reúne Pabllo Vittar e Majur em “AmarElo”, faixa-título do seu próximo projeto de estúdio”

Emicida faz referência a Criolo na capa do single “AmarElo”

unnamed (7).jpg

Emicida anunciou o nome e a data de lançamento do seu próximo single. Gravada com a participação de Pabllo Vittar e Majur, a música “AmarElo” chega nas plataformas no dia 25 de junho (terça-feira). O videoclipe, registrado no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, também ficará disponível no YouTube do rapper paulista.

Agora, Emicida apresenta a capa do single, que faz uma referência à capa do álbum Ainda Há Tempo, lançado por Criolo em 2006.
Continuar lendo “Emicida faz referência a Criolo na capa do single “AmarElo””

Confira vídeo de “Hacia El Amor”, nova música de Emicida e o duo Ibeyi

unnamed.png

No ano passado, quando lançou o single “Hacia El Amor” com o duo franco-cubano IbeyiEmicida escreveu: “sinto em minhas novas amigas, as Ibeyi, a energia dos espíritos antigos que retornam para contar suas histórias e dividir sua grandeza em novas plataformas”. Um ano depois, a narrativa continua sendo escrita em parceria. O rapper paulista e as irmãs gêmeas Lisa-Kaindé e Naomi Díaz foram anunciados em um show conjunto no palco Sunset do Rock in Rio.

Para celebrar o encontro ao vivo, que acontece no palco do festival no dia 3 de outubro, Emicida liberou um vídeo com as cenas da gravação da música “Hacia El Amor”, que foi registrada no estúdio da Laboratório Fantasma, em São Paulo. Assista aqui.

“Hacia El Amor” é de autoria de Emicida, Lisa-Kaindé e Naomi Díaz, Maya Dagnino (mãe das gêmeas) e Marcio Arantes (também produtor da faixa). “É uma canção que compusemos em conjunto, passeia por idiomas mil, agogôs e sintetizadores convivendo em paz”, diz Emicida. “Como nos terreiros pequenos de quebrada, onde em uma casa está acontecendo a gira e na casa do lado alguém assiste Stranger Things e o som de ambos em algum momento se torna uma coisa só”, completa.