Cinco peças de teatro para você assistir em abril

DISTOPIA BRASIL_6771_Jose de Holanda.jpg
Foto: José de Holanda

Público tem até o dia 21 de abril para conferir “Distopia Brasil”, no Centro Cultural São Paulo (CCSP), no Espaço Cênico Ademar Guerra, com sessões às sextas e sábados, às 21h, e domingos, às 20h. O Núcleo do Pequeno Ato apresenta uma narrativa original anti-utópica inspirada nos problemas sociopolíticos brasileiros atuais no espetáculo imersivo. É o terceiro trabalho do coletivo – depois dos premiados “Fortes Batidas” e “11 Selvagens”.

Com direção de Pedro Granato, a montagem surgiu de um processo criativo colaborativo, no qual o núcleo se debruçou sobre distopias clássicas e contemporâneas, como “1984”, “Fahrenheit 451”, “Handmaid’s Tale”, “Blade Runner”, “Matrix”, “Laranja Mecânica”, “Admirável Mundo Novo”, “Black Mirror”, “Ensaio sobre a Cegueira” e “V de Vingança”. Ingressos: Gratuitos.

insonesCom texto inédito de Victor Nóvoa e direção de Kiko Marques, ganhador do prêmio Shell, APCA, Aplauso Brasil e Qualidade Brasil pelo espetáculo CAIS ou da Indiferença das Embarcações, e também ganhador do APCA por Sínthia, o espetáculo “Insones” reestreia no TUSP – Teatro da USP, dia 25 de abril, quinta-feira, às 21h. As sessões acontecem de quinta a domingo até 26 de maio.

Em “Insones”, quatro figuras passaram 365 noites em claro e tentam incessantemente finalizar a contagem regressiva para o ano que virá. A comemoração é constantemente interrompida por acontecimentos insólitos, revelando relações humanas descartáveis e violentas. A história se mantém por um fio tênue, porém mais importante que a trama são os estados gerados por esse mundo em funcionamento contínuo no qual habitam os personagens. Essas figuras fazem emergir questões fundamentais em nossos dias, como o excesso de estímulos e o crescente controle do tempo e da experiência. Ingressos: de R$ 10 a R$ 20.

Helenas_alfenim_foto Tarciana Gomes 2 .jpg
Foto: Tarciana Gomes

O mais recente trabalho do Coletivo Alfenim, o espetáculo infantojuvenil “Helenas” será apresentado de 18 a 21 de abril, na Sala Multiuso do TUSP – Teatro da USP. Com dramaturgia de Márcio Marciano e direção de Paula Coelho, a peça é inspirada no livro “Minha Vida de Menina: os Diários de Helena Morley”, pseudônimo de Maria Caldeira Brandt, que viveu em Diamantina (Minas Gerais).

A peça retrata impressões registradas no diário de uma adolescente entre seus treze e quinze anos de idade que viveu no final do Século XIX. Apesar de tratarem-se de acontecimentos de infância vividos em um ambiente rural em vias de urbanização, o encantamento e a ironia com que a menina Helena descreve suas descobertas confere à narrativa uma extrema atualidade. Ingressos: de R$ 10 a R$ 20.

Pousada Refugio - Ana Alexandrino 1.JPG
Foto: Ana Alexandrino

Com direção de Pedro Granato e texto de Leonardo Cortez,Pousada Refúgio o espetáculo que discute o descontentamento geral da classe média brasileira com a realidade do país e o desejo de abandonar tudo para viver mais perto da natureza, volta em cartaz no Teatro Eva Herz para nova temporada de 13 de abril a 29 de junho, com sessões aos sábados, às 17h. O elenco traz Daniel DottoriGlaucia LibertiniLaís MarquesMaurício de BarrosSilvio Restiffe e Tatiana Thomé além do próprio autor da peça.

A trama apresenta dois casais que desejam construir um recanto no meio da natureza para fugir de suas várias crises. Durante um jantar para festejar a maquete da Pousada Refúgio, a realidade ameaça destruir o sonho do grupo. Nesse apartamento hipster, uma série de verdades sobre aquelas relações deterioradas ficam mais evidentes à medida que os convidados consomem bebidas alcoólicas. Ingressos: de R$ 25 a R$ 50.

cargas dagua um musical de bolso (7).JPG
Foto: Victor Miranda
No dia 16 de abril, “Cargas D’água – Um Musical de Bolso” o espetáculo fará única apresentação no Teatro Procópio Ferreira, em São Paulo. Em única sessão às 21h, os ingressos já estão à venda pelo site Ingresso Rápido. O espetáculo conta uma história que começa bem no meio do Brasil, só que um pouquinho para cá: no sertão mineiro. Onde um menino perde a sua venerada mãe e acaba por esquecer o seu próprio nome, pois seu padrasto, agora o único membro da família, só o chama por “moleque”. Mas tudo muda quando ele faz um amigo, nada comum, um peixe, e começa a ver toda a sua história com outros olhos. Agora ele tem uma missão: levar seu amigo para ver o mar. Uma missão que seria muito fácil se ele não tivesse inventado de contornar o país inteiro por dentro antes de sair no litoral. Em sua jornada, o moleque acaba encontrando distintos personagens que o ajudam ou atrapalham, e de alguma forma, o obrigam a enfrentar os maiores medos dos homens. Entre os personagens estão Charles e Pepita, dois artistas peculiares que ajudam o moleque a dar sentido para sua jornada e consequentemente, para sua vida e para a deles. Ingressos: de R$ 40 a R$ 80.