Destaque no Sesc em abril!

Eu já falei um milhão de vezes aqui e no canal como eu sou apaixonada pelo Sesc e todas as atividades incríveis (e baratas) que essa rede proporciona para os brasileiros. Eu sou uma visitante assídua e foram nessas diversas unidades que eu vivi alguns dos melhores momentos da minha vida. Garanti a minha revista de abril e fiz uma triagem dos melhores shows que rolam até o dia 30. Já pega a agenda aí, porque são muitas opções e eu já adianto: difícil vai ser escolher.

Titãs: No show “Doze Flores Amarelas – A Ópera Rock dos Titãs”, o grupo bebe da mesma fonte que The Who, Pink Floyd e Green Day para trazer uma apresentação diferente. São 25 canções inéditas dos Titãs na peça, que interpretam integrados aos guitarrista e baterista da banda, Beto Lee e Mario Fabre. Três cantoras/atrizes completam a linha de frente musical, Corina Sabba, Cyntia Mendes e Yás Werneck. Imperdível! Pinheiros, de 12 a 15. Ingressos de R$ 18 a R$ 60.

Almério: O cantor pernambucano apresenta repertório do disco “Desempena” (2017). O álbum, segundo da carreira do artista, é composto por onze faixas de sonoridade minimalista, que enfatizam a crueza dos pífanos (marca profunda em sua formação musical), em harmonia com cordas  e percussão. Na ocasião, o artista traz, além das canções do novo trabalho, as versões de “Respeita Januário” (Luiz Gonzaga) e “Divino Maravilhoso” (Caetano Veloso), faixas de seu primeiro CD. Belenzinho, 13 de abril. Ingressos de R$ 6 a R$ 20.

Tarântulas e Tarantino: A banda que é liderada por Luiz Thunderbird  surgiu da vontade dos músicos em homenagear a filmografia de Quentin Tarantino e suas trilhas sonoras. Em 2018 a banda apresentará um show em comemoração aos 15 anos de lançamento do filme Kill Bill 1. Tarântulas & Tarantinos tocam músicas das trilhas sonoras de Kill Bill 1 e a VJ Cecília Lucchesi faz projeções de cenas onde as músicas eram originalmente inseridas. Campo Limpo, 14 de abril. Gratuito.

Roberta Campos: Indicada ao Grammy Latino 2016 na categoria “Melhor Álbum de MPB” por “Todo Caminho é Sorte”, Roberta Campos é um dos novos nomes que aparecem no cenário da nova MPB. Acompanhada por Michele Abu (bateria), Pit Souza (baixo) e Zeca Loureiro (guitarra), Roberta apresenta os maiores sucessos de Renato Russo como “Tempo Perdido”, “Ïndios” e “Vinte e Nove”, além de composições próprias como “De janeiro a Janeiro” e “Minha Felicidade”. Bom Retiro, 14 e 15 de abril. Ingressos de R$ 9 a R$ 30.

Luisa Maita: A artista traz repertório baseado em seus dois discos, “Lero Lero” (2010) e “Fio da Memória” (2016), que unem diversos elementos ao estilo popular brasileiro da cantora. Interlagos, 15 de abril. Gratuito.

Filipe Catto: Baseado no seu último disco de estúdio, CATTO, a nova turnê é intitulada “O nascimento de Vênus”, uma alusão à canção “Lua Deserta”. O repertório é baseado nas canções do disco recém-lançado, costurado com os sucessos de trabalhos anteriores como “Adoração”, “Depois de amanhã” e “Do fundo do coração”. A banda, formada por Felipe Puperi (guitarra, teclados e programações), Michelle Abu (bateria e percussões) e Fábio Sá (baixo e synths) se dinamiza na colagem de texturas sonoras, timbres eletrônicos e uma viagem pop/cigana com influências de indie rock e música brasileira. Osasco, 19 de abril. Ingressos de R$ 6 a R$ 20.

Giovani Cidreira e AílaGiovani Cidreira é um dos expoentes da nova cena musical de Salvador. Cantor, compositor, arranjador e instrumentista, começou sua trajetória profissional na música como guitarrista e vocalista da banda Velotroz e alçou seu primeiro voô solo em 2014, com o EP Giovani Cidreira – que  recebeu alguns destaques, como prêmio de melhor música com letra no XII Festival de Música da Educadora FM pela faixa “Ancohuma”. Em abril de 2017, Giovani lançou seu primeiro disco solo, Japanese Food, em todas as plataformas digitais. O disco tem participação da cantora Josyara e foi gravado no Estúdio Casa das Máquinas. Um trabalho concebido em conjunto com os músicos Tadeu Mascarenhas, Junix, Filipe Castro, Lelo Brandão e Lalo Batera e mixado por Diogo Strausz e masterizado por Ricaro Garcia. Nascida na Terra Firme, bairro da periferia de Belém, Aíla é um dos principais nomes contemporâneos da música brasileira. É cantora e compositora. O novo disco da artista, “Em Cada Verso Um Contra-Ataque“, (pela Natura Musical), tem pegada “artivista” e discute temas urgentes, como feminismo, questões de gênero, assédio e resistência. Neste trabalho, a artista investe em uma sonoridade pop, dançante, que flerta com as distorções do rock e ao mesmo tempo com os beatseletrônicos, reflexo também da conexão Belém e São Paulo, onde reside hoje. O disco traz canções próprias e de parceiros, como Dona Onete, além de uma inédita de Chico César. Pompeia, 19 de abril. Ingressos de R$ 6 a R$ 20.

André Frateschi: Depois de ser a voz da Legião Urbana na turnê Legião XXX anos, André Frateschi participou do programa Popstar, da Tv Globo, saindo vencedor. Na sequência, participou do Rock in Rio em uma maratona de 14 shows no palco Rock District e agora segue em turnê pelo Brasil com seu show BRock is Back – Tributo ao Rock Nacional, e desde janeiro de 2018 vem lançando músicas inéditas que passaram a fazer parte do repertório. Acompanham Frateschi, Piero Damiani (teclados), Dudinha Lima (baixo), Martin Mendonça (guitarra), Angelo Kanaan (bateria), Tiago Sormani (saxofone) e Miranda Kassin (voz, em participação especial). Vila Mariana, 20 de abril. Ingressos de R$ 9 a R$ 30.

Plebe Rude: A banda Plebe Rude – uma das primeiras bandas punks do país, surgida nos anos finais da ditadura militar e consagrada por participar da construção histórica deste período em nível cultural, político e social – anuncia um novo formato de show, chamado “Primórdios”, de repertório formado por canções compostas entre os anos 1981 e 1983, e, dentre elas, muitas inéditas. A banda percebeu que, ao revisitar essas canções, a banda percebeu que são atuais apesar do passar dos anos. Santo André, 20 e 21 de abril. Ingressos de R$ 6 a R$ 20.

Emicida: O rapper escolheu um emblemático 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra, para gravar o primeiro DVD de sua carreira, 10 Anos de Triunfo e agora, celebra essa conquista no palco do Sesc Pinheiros. Neste show, Emicida será acompanhado por DJ Nyack (toca-discos e vocais), Carlos Café (percussão), Silvanny Rodriguez Sivuca (percussão), Michelle Cordeiro de Lemos (guitarra, violão e vocais), Ed Trombone (trombone), Fernando Bastos(saxofone e flauta) e Gustavo Sousa (trompete). Participações de Drik BarbosaMuzzikeAmiriRaphão Alaafin Jota Ghetto. Pinheiros, 20 a 22 de abril. Ingressos de R$ 12 a R$ 40.

Arnaldo Antunes: Em abril, Arnaldo Antunes vem ao palco do Sesc Parque Dom Pedro II para apresentar um show gratuito com músicas de seus dois últimos trabalhos “Já É” (2015) e “Disco” (2013). O artista também revisitará músicas como “Que me Continua” de seu projeto “A Curva da Cintura” e, também, “Atenção” e “Do Vento” de seu disco “Paradeiro”. Além disso, o artista apresenta releituras de grandes sucessos dos Tribalistas, como “Passe em Casa” e “Velha Infância”, e “Porrada” dos Titãs. Completa o show canções de sua carreira solo como “Socorro” e “A Casa É Sua”. Parque Dom Pedro II, 21 de abril. Gratuito.

Johnny Hooker: O novo show traz as 11 canções inéditas do álbum “Coração” (2017) e alguns dos sucessos do disco anterior. A banda que acompanha Hooker no palco é a mesma de sua turnê anterior, contando com Artur Dantas (teclados e violões), Felipe Rodrigues (guitarras), Thiago Duarte (percussão), Joana Cid (baixo), Eduardo Guerra (bateria), Neris Rodrigues (trombone) e Alan Ameson (trompete). Bom Retiro, 21 e 22 de abril. Ingressos de R$ 9 a R$ 30.

Yzalú: O show “Minha Bossa é Treta” apresenta um formato ao vivo com a composição de sintetizadores, teclados, instrumentais e scratches, revezando com a voz de Yzalú. A cantora apresenta as suas rimas e revezando a performance em momento ou outro ao violão. No repertório, músicas do álbum Minha Bossa é Treta, o primeiro da carreira de Yzalú, apresentando ritmos que perpassam desde o RAP, Bossa Nova, Samba Jazz, Afrobeat e MPB, com destaque para as músicas: ‘É O Rap Tio’, o hino ‘Mulheres Negras’, e o novo single ‘Estamira’. Campo Limpo, 21 de abril. Gratuito.

Marina Lima: A cantora e compositora Marina Lima faz show de lançamento do álbum Novas Famílias. Ela sobe ao palco acompanhada dos músicos Arthur Kunz e Leo Chermont, que formam o duo eletrônico Strobo, de Belém do Pará, e Dustan Gallas, músico piauiense radicado há muitos anos em São Paulo e que também é produtor musical do disco, junto à Marina. O trabalho conta com músicas inéditas: são duas parcerias novas com seu irmão Antonio Cicero, canções escritas com Leticia NovaesSilvaGallas e duas de autoria própria. Há ainda uma regravação do samba Climática, da paulista Klébi Nori. Este álbum ainda conta com as participações especiais de Marcelo Jeneci e da própria Letrux. Pompeia, 21 e 22 de abril. Ingressos de R$ 12 a R$ 40.

Soledad: A cantora cearense traz canções de seu disco “Soledad” (2017), que traz uma atmosfera mais psicodélica à linguagem popular brasileira do repertório. Interlagos, 22 de abril. Gratuito.

Ekena: Desde 2010 no cenário da música independente, a cantora Ekena lançou seu primeiro disco “Nó”, em 2017. O álbum conta com 13 faixas autorais, que passeiam pelo folk e mpb e trazem a tona os relacionamentos interpessoais e a luta em ser mulher em meio a uma sociedade machista. Neste show, a artista apresenta as canções do disco, entre elas “Juro Juradinho”, “Passarinho” e “Pois é”, que foram lançadas em abril de 2016 no EP “Passarinho”. Além dessas, o disco ainda conta com o single ‘”Todxs Putxs”, cujo clipe ganhou repercussão nas redes sociais. Ekena é companhada por Vínicius Lima (voz e violão), Gabriel Planas (baixo), Hugo Bruner (guitarra), Luis Octavio Rocha (bateria), William de Paula (piano, escaleta e ukulele) e Alvaro Malheiros (metais), com participação de Samuca (“Samuca e a Selva”). Belenzinho, 22 de abril. Ingressos de R$ 6 a R$ 20.

Coruja BC1: O rapper Coruja BC1 dá início à turnê de promoção de seu primeiro álbum solo, o recém-lançado “NDDN – No Dia dos Nossos”. Coruja se apresenta acompanhado pelo DJ Skeeter, que também assina a produção do disco, e com as participações de EmicidaRaelTiê e Menor do Chapa. O repertório traz músicas da carreira do artista. Primeiro álbum da carreira de Coruja, “NDDN” tem como base as raízes do povo negro, sua ancestralidade, conquista, aceitação, autoestima e no empoderamento. 24 de Maio, 25 e 26 de abril. Ingressos de R$ 9 a R$ 30.

Tiê: Neste show em formato intimista, a cantora e compositora Tiê desfila o repertório do disco Gaya, inspirado na figura da sua avó, a pioneira da televisão brasileira Vida Alves, e outras mulheres de sua família, como sua mãe e filhas. Ancestralidade, elementos da natureza, com toques de humor e ternura, permeiam as canções embaladas pela sua doce voz. São Caetano, 27 de abril. Grátis.

Plutão Já Foi Planeta: Plutão Já Foi Planeta é uma banda de Indie Pop/Rock de Natal, Rio Grande do Norte, e surgiu em setembro de 2013. O grupo é formado atualmente por Natália Noronha, Gustavo Arruda, Sapulha Campos, Vitória de Santi e Renato Léllis. O segundo álbum do grupo é chamado “A Última Palavra Feche a Porta” e foi lançado em março de 2017 em parceria com o selo Slap da Som Livre. Bom Retiro, 27 de abril. Ingressos de R$ 9 a R$ 30.

Teto Preto: O grupo Teto Preto traz ao Sesc Pompeia a jam eletrônico-orgânica residente da festa Mamba Negra. Reunindo músicos de diferentes backgrounds para sessions de livre improvisação, a banda realiza o show com a sua formação base: CARNEOSSO (voz / pedais/ corpo), Zopelar (synths / drummachines), Sávio de Queiros (synths / drummachines), William Bica (percussão / trombone), Loïc Koutana (corpo). Pompeia, 27 de abril. Ingressos de R$ 6 a R$ 20.

Rincon Sapiência: Nascido na zona leste de São Paulo, o rapper e poeta iniciou a carreira nos anos 2000, tocando em grupos da Cohab 1, bairro onde foi criado. Ganhou destaque como MC improvisando rimas. Juntou-se ao rapper Kamau, no selo Plano Áudio, onde lançou seu primeiro rap, “Aventureiro”, no disco “Escuta Aí” (2005) do grupo Simples, e participou com duas músicas no disco do amigo, “Non Ducor Duco” (2008). Rincón se firmou na cena Hip Hop com o single “Elegância”, que ganhou videoclipe na MTV e foi indicado ao “VMB 2010” na categoria “Melhor Videoclipe de Rap”. Em 2014, lançou o EP “SP Gueto BR.” Excursionou por diversas cidades do Brasil e se apresentou em países africanos. Em 2017, gravou e produziu o álbum, “Galanga Livre”. Neste show, apresentará repertório da carreira. Belenzinho, 27 e 28 de abril. Ingressos de R$ 6 a R$ 20.

Macaco Bong: O repertório de versões do Nirvana resguarda a identidade do Macaco Bong com muito groove e desconstrói as melodias com novos arranjos. Interpretado com audácia pelos integrantes, o tracklist foi pensado para ser mais pesado e com outra marcação de tempo, o que garante manter a assinatura bonguiana. No show Macaco Bong Toca ‘Deixa Quieto’, o trio recria o álbum Nevermind do Nirvana na íntegra, em versões próprias e instrumentais. Deixa Quieto foi lançado em 2017 e ganhou destaque na Revista Rolling Stone e em diversas listas de final de ano. Campo Limpo, 28 de abril. Gratuito.

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s