Dia a dia, lado a lado

12633648_10207583853130423_6456918225288555189_o (1)Tulipa Ruiz e Marcelo Jeneci dividem o palco para lembrar os velhos tempos

Há cerca de quatro anos atrás, em meados de 2011, estourou na internet um vídeo simples, beirando ao caseiro, de uma música interpretada por Tulipa Ruiz e Marcelo Jeneci. Dia a Dia, Lado a Lado mesclava a excêntricidade da cantora santista com todo o romantismo de Jeneci. Daquelas letras que lhe derrubam e faz chorar na fossa ou se torna a trilha sonora perfeita para uma troca de olhares apaixonados.

Quase sete anos depois – a canção foi composta em 2009 – os dois se juntam para gravá-la em estúdio e deslancham em uma pequena turnê pelo Brasil, para cantar seus sucessos e, é claro, a tão célebre obra. A estreia foi no teatro Castro Alves (TCA), no coração da Bahia, mais precisamente, Salvador. A segunda noite de festa foi especial para os cariocas: no alucinante Circo Voador. E no domingo, 24/01, a dupla desembarcou em São Paulo, para serem comandantes de três dias de apresentações (esgotadíssimas!) no Teatro do Sesc Pompeia. Entre os três locais, com certeza, esse terceiro é totalmente diferente, mas como disse a própria Tulipa: “A energia é muito boa. Sempre bom estar no Pompeia. Obrigada, Lina Bo Bardi!”, arquiteta que projetou a Fábrica.

IMG_20160124_203344849.jpg

A apresentação foi inciada com a serena Efêmera, de Tulipa Ruiz. A partir de então, os dois revezavam o palco, com o bônus de cantarem juntos alguns trechos ali entoados. Felicidade veio seguida de Jogo do Contente A Vida É Bélica. Quando o microfone retornou para Ruiz, ela apresentou uma versão bem diferente de Só Sei Dançar Com Você que estávamos acostumadas a escutar em 2011, quando lançou seu primeiro disco independente. Mais animada e com novos arranjos, a canção não se conteve em ser apenas mais uma dessas de amor. É intensa, potente e vulcânica. A cara de Tulipa Ruiz.

IMG_20160124_210428138.jpgA graça da moça, foi sucedida pela sanfona agitada de Jeneci, que chamou a todos para se jogar no balanço com a letra simples e sincera De Graça, nome esse que intitula também o segundo disco do paulistano. Para atiçar ainda mais a curiosidade dos fãs que estão há três anos sem novas canções, o rapaz cantou uma música inédita, O Rei do Tempo que foi elaborada juntamente com o mestre Luiz Tatit e estará em seu novo álbum, que será lançado ainda esse ano.

E não foi apenas os cantores que se juntaram nessa jornada. Os músicos presentes também eram mistos. Do time de Tulipa tínhamos Márcio Arantes (baixo), Gustavo Ruiz (guitarra), enquanto Régis Damasceno (guitarra e violão) e Caio Arantes (bateria) fazem parte da trupe de Jeneci.

IMG_20160124_203350615.jpg

Enfim, é chegada a grande hora. Dia a Dia, Lado a Lado. A grande estrela da noite. Antes de musicarem o desejo que muitos ali tinham em ouvir ao vivo, os dois fizeram questão de contar como essa poesia em forma de canção nasceu. Em 2009, o dueto já revezavam o palco, em uma pequena casa de show de São Paulo, bem no início de suas carreiras. Foi então, que para selar esses eventos, de uma semana para a outra, decidiram compor uma canção juntos. O processo começou na casa de Tulipa, com um cafezinho e acompanhados de Gustavo Ruiz, irmão da moça. A melodia já tinha vida, quando decidido que essa missão seria finalizada na casa de Jeneci. O restante da história mistura um retroprojetor, a primeira temporada de Anos Incríveis completa e uma tarde inteira de sessão pipoca na casa do paulistano. O que sobrou? A madrugada, melhor amiga dos poetas, para que a proposta se concretizasse.

IMG_20160124_210417799_HDR.jpg

A noite foi finalizada com a tão esperada apresentação, que não poderia ser mais emocionante. A harmonia levinha com grande pegada lírica e melosa, fez muitas pessoas se emocionarem. Em dado momento da canção, cada um seguiu para um lado do palco, avançou à plateia e poucos minutos depois, feito mágica, apareceram em lados opostos. Finalizaram o espetáculo de mãos dadas, transmitindo todo o sentimento e força daquela amizade, dessa parceria. E foi então que podemos entender o: “é natural que seja assim, você aí e eu aqui, exatamente aqui…”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s