3 filmes novos sobre manifestações

Todas as listinhas que você vê sobre filmes com a temática manifestações baseia-se em V de VingançaMilk e outros clássicos? Está cansado dos mesmos títulos sempre? Não que esses filmes não sejam bons, pelo contrário, são ótimos. Porém, nos últimos meses, não por acaso, alguns longas com essa abordagem, que é uma forma gostosa de aprender um pouco mais sobre a história do nosso país e de outros também. Lista aí!

 

Depois de Maio
ARTS MOVIE

Região de Paris, início da década de 1970. Gilles é um jovem estudante imerso na atmosfera criativa e política da época. Como os seus colegas, ele está dividido entre o investimento radical na luta política e a realização de desejos pessoais. Entre descobertas amorosas e artísticas, sua busca o leva à Itália e ao Reino Unido, onde ele deverá tomar decisões essenciais ao resto de sua vida. Vi esse longa no mês passado em uma sessão gratuita que teve na Matilha Cultural, admito que esperava um pouco, algumas atuações são bem ruins, mas o contexto geral é interessante.

Repare Bem

15492701

Durante a ditadura militar no Brasil, Denise Crispim, filha de pais militantes, envolve-se com o guerrilheiro Eduardo Leite, conhecido como Bacuri. A relação dá origem a uma gravidez, no mesmo período em que o regime começa a perseguir a família de Denise. Em pouco tempo, seu irmão é assassinado e sua mãe é presa. Quando à Bacuri, ele é torturado durante mais de três meses, e depois assassinado. Com o nascimento da pequena Eduarda, Denise consegue asilo político no Chile, embora o golpe de Pinochet force mãe e filha a se mudarem para a Itália. Mais de quarenta anos após os fatos, as duas recebem anistia do governo brasileiro, e decidem contar a sua história.

Esse filme é dirigido pela atriz portuguesa Maria Medeiros, lembra dela no Pulp Fiction?

A Memória Que Me Contam

A-memória-que-me-contam-direção-Lucia-Murat.-Fotos-Daniel-Bustamante-01

A ex-guerrilhera Ana (Simone Spoladore), ícone do movimento de esquerda, é o último elo entre um grupo de amigos que resistiu à ditadura militar no Brasil. Com a iminente morte da amiga, eles se reencontram na sala de espera de um hospital. Entre eles está Irene (Irene Ravache), uma diretora de cinema que sente-se perdida diante da morte de Ana e que precisa ainda lidar com a inesperada prisão de Paolo (Franco Nero), seu marido, acusado de ter matado duas pessoas em um atentado terrorista ocorrido décadas atrás na Itália. Esse eu também vi na Matilha e além de ser muito poético, achei interessante e inteligente a transição de presente e passado da película.

Estou maluca para ver Repare Bem e vocês? Quais já viram?

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s