Lente



De todas as maneiras que você conseguiu me ver, me observar através da lente, era o seu modo favorito. 
Lá, após cada clique que seus dedos faziam disparar, era possível congelar aquela atmosfera que nos rodeava. Que nunca foi a das mais inocentes.
Você captava aqueles momentos em que eu te encarava sem piscar os olhos ou enquanto eu tomava uma cerveja despercebida.
A lente era democrática, não havia julgamentos, era compreensiva. Então, por ela você me enxergava mais bonita, cheia de vida e era assim que você me vigiava durante horas seguidas.
Esses cliques me irritavam, mas ao mesmo tempo, parecia que você era tão meu, um momento tão íntimo, aqueles a procura do melhor ângulo, em que eu sorria e ao mesmo tempo olhava pro canto. E se resumia só a isso: eu, você e a lente.
Hoje sem você tenho medo da lente. Hoje ela me enxerga vazia e sem alma, mostra quem eu realmente sou. A máscara está em queda livre.

Aline Paz


______________________________


Inspiração: “Não olhe agora, estou olhando pra você…” ♫ O Teatro Mágico

2 comentários em “Lente

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s